quarta-feira, 26 de novembro de 2014

Indulgência

"Não sei se peça desculpa.

Desculpa por ter sido a má influência que fui.
Desculpa por não ter sido a pessoa que merecias.
Desculpa por te ter mostrado caminhos menos próprios.
Desculpa por te ter magoado e ter impulsionado a tomar escolhas erradas.
Desculpa por te ter dado falsas esperanças quando mais precisavas de um amigo.

Mas não sei se peça desculpa.

Todas as falcatruas que cometi, serviram-te para não tropeçares de novo.
Todas as estradas más que te mostrei, contribuíram para formares novos laços.
Todas as injustiças que por mim sofreste, precaveram que te magoasses outra vez.
Todas as cicatrizes que te fiz, enrijeceram a tua pele e tornaram-na mais resistente.
Todas as tristezas que sentistes, aperfeiçoaram a tua visão do mundo e de como ele é.

Não vou pedir desculpa, não porque não me sinta culpado.
Não vou pedir desculpa, porque, sem ter noção, considero ter tido um papel importante numa parte, por mais ínfima que seja, na felicidade que sentes hoje em dia."

Sem comentários:

Enviar um comentário